Praticando o consumo consciente

Eu sempre indico por aqui produtos que eu amo e acho bons investimentos. Como eu sempre levo em consideração alguns pré-requisitos antes de comprar algo – ser cruelty free, não conter ingredientes tóxicos, ética da empresa – nem todos são exatamente uma pechincha. Então hoje queria falar um pouco sobre o outro lado, o do consumo consciente. Não acredito que a solução para os problemas do mundo seja deixar de fazer tudo o que a gente gosta, mas há maneiras de fazer isso de forma pensada e responsável tanto para o planeta como para o nosso bolso.

Deixo aqui algumas  práticas que eu acho que podem ajudar, focando na área de cosméticos. E claro, as dicas de vocês são mais do que bem vindas! Vamos espalhar essa ideia. ❤

  • Esperar

Eu fico com vontade de correr para comprar algo quando vejo uma youtuber que eu gosto indicando. Inclusive já descobri produtos maravilhosos desse modo. Mas essa relação pode ser complicada, com tantas influências na internet, propagandas, indicações. É importante conseguir separar o que a gente realmente quer do que é impulso de momento.

Eu costumo anotar quando vejo algo que eu tenho interesse e espero um momento mais oportuno para ir atrás – e muitas vezes acabo desistindo antes disso. Outra dica é esperar os preços dos produtos baixarem. Como todo mundo sabe, depois do Natal as lojas costumam entrar em liquidação. A Lush, por exemplo, que sempre falo, coloca toda a sua linha de fim de ano com 50% de desconto – foi assim que consegui comprar meu gel de banho preferido, o Rose Jam. Então, se algo não é necessário para mim no momento, prefiro esperar por situações desse tipo.

  • Produtos multifuncionais e de alto rendimento

Produtos sólidos e concentrados utilizam menos ou nenhuma água na fabricação e demandam menos embalagem, o que é ótimo em termos de sustentabilidade, além de demorarem mais para acabar. Também é legal achar itens que tenham mais de uma utilidade, desde pincéis de maquiagem até hidratantes. O mercado está cheio de óleos multifuncionais e manteigas/balms que podem ser utilizados em várias partes do corpo.

  • Alternativas naturais

Sabia que dá para usar bicarbonato de sódio como desodorante? Já os óleos vegetais (azeite, coco, amêndoas) são ótimos demaquilantes e hidratantes. Também dá para esfoliar a pele com açúcar e mel, ou azeite e sal. A internet está cheia de alternativas caseiras para produtos que vemos por aí. Esse link  reúne um monte de receitas de cosméticos e higiene pessoal e gosto muito do blog Um Ano Sem Lixo exatamente por esse motivo.

  • Apenas um produto para cada função 

Minha vontade é de comprar todos os hidratantes faciais do mundo, mas acho desperdício ter vários produtos com o mesmo propósito. Tento ao máximo usar o produto até o final, e só depois comprar outro. Claro que existem exceções, e eu posso trocar de produto se eu realmente não gostar de algo ou a nova aquisição tiver alguma propriedade muito extraordinária. Mas, no geral, a regra de 1-para-cada-função me ajuda a manter os pés no chão e pensar mais antes de comprar alguma coisa.

  • Pesquisar sempre

Raramente eu compro alguma coisa na loja porque achei a embalagem bonita, ou a pessoa que me atendeu falou que era massa. Prefiro ir já com uma ideia do que eu quero, depois de ter procurado resenhas na internet, olhado a lista de ingredientes, sabendo que a marca é de qualidade. Muitas vezes vou pesquisar sobre produto e acabo achando uma alternativa melhor ou mais barata.

  • Sacolas são desnecessárias 

Recuse sacolas, a não ser que seja realmente impossível carregar o item na bolsa. Receber a sacola é algo tão automático que a gente acaba esquecendo que aquela embalagem é totalmente desnecessária e vai parar no lixo no mesmo dia. O ideal seria todo mundo andar com ecobags, mas eu mesma vivo esquecendo. Então tento minimizar o problema colocando na bolsa mesmo, ou usando uma sacola de uma loja para colocar também algo de outras, quando é o caso

  • Doe o que você não usa mais

Pode ser para mãe, para as amigas, para um abrigo de mulheres. Não faz o menor sentido acumular coisas que você não usa. Jogue fora a maquiagem vencida ou estragada e repasse as que estão boas, mas você não gostou.

  • Dê preferência a marcas nacionais

Marcas nacionais normalmente são mais baratas e você também vai estar incentivando o marcado interno. Raramente eu compro maquiagem de marca estrangeira, acho que as brasileiras atingiram um nível de qualidade e variedade que não deixar a desejar em nada, e a maioria é cruelty free. Na área de cuidados com a pele acho um pouco mais difícil, mas também vejo o mercado percebendo esse novo tipo de consumidor e novas alternativas vão surgindo a cada dia.

 

Anúncios

Uma opinião sobre “Praticando o consumo consciente

  1. Nicoly, muito obrigado por citar o reinehr.org em seu artigo. Espero que o pdf que vai sair logo mais seja ainda mais completo e ajude muitas pessoas a iniciarem ou aprimorarem um caminho mais sustentável, usando marcas veganas, cruelty free, orgânicas ou então aprendam a fazer por si mesmas parte ou todos seus produtos de higiene e cosméticos naturais.

    Um abraço e parabéns pelo excelente blog.

    Se desejar, consigo abrir um espaço para esta temática lá no Medictando – portal de Saúde, Qualidade de Vida, Bem-estar e Felicidade que estamos coletivamente desenvolvendo. Pense com carinho e, se desejar, entre em contato.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s